• 'A maternidade precisa ser discutida. É uma entrega bela, mas caótica', crava Samara Felippo
  • Autor:Paula Maria Prado
  • 2019-09-27
  • Fonte:

“Maternidade é não saber. A gente não sabe de nada, vamos tropeçando aqui, ali e o amor pelos filhos vai crescendo, a parceria vai crescendo… Maternidade é uma entrega bela e caótica”, descreve Samara Felippo. Mãe de Alicia, de 9 anos, e Lara, de 5, fruto de seu relacionamento com o jogador de basquete Leandrinho, de quem se separou em 2013, a atriz já se envolveu em polêmicas ao comentar sobre o lado B de ser mãe. 

“Eu amo minhas filhas! Mas não amo tanto ser mãe. E eu amo ter coragem de falar isso! Eu amo não sentir mais culpa! Eu amo exercitar o não julgamento!”, escreveu no Instagram. 

“A maternidade precisa ser falada, discutida, tem muita coisa dentro. Tem um machismo velado e que precisa ser exposto”, continua. “Se de um lado é amor puro e sincero, de outro é algo que toma da gente um pouco da nossa identidade. É preciso renascer todos os dias com os seus filhos”. 

É exatamente da necessidade de expor tudo isso que nasceu a peça “Mulheres que nascem com os filhos”, em cartaz neste final de semana no teatro Colinas, em São José dos Campos. Junto da também atriz Carolinie Figueiredo, no palco, Samara fala das experiências de ambas com a maternidade e traz depoimentos de amigas. 

“Levamos cinco anos para conseguir tirar essa peça do papel por causa de percalços da vida. No final, foi um processo catártico. A gente riu, chorou e se curou de muitas coisas ao longo dos ensaios”, disse. 

Serviço. 

O espetáculo está em cartaz nesta sexta-feira (27) e no sábado (28), às 21h; e no domingo (29), às 19h, no teatro Colinas. Os ingressos custam R$ 70 (inteira). Membros do Clube+ OVALE têm 30% de desconto.