• Samara Felippo e Carolinie Figueiredo novamente em palco joseense
  • Autor:Paula Maria Prado
  • 2019-11-22
  • Fonte:

Samara Felippo e Carolinie Figueiredo estão de volta a São José dos Campos, neste final de semana com a peça “Mulheres que nascem com os filhos”. O projeto, que está pela segunda vez na cidade, acompanha a trajetória do renascimento da mulher após a maternidade.

“Há algum tempo eu comecei a sentir uma urgência em falar do processo que ocorre com a maternidade. Se fala sempre do amor pleno e incondicional, e isso todo o mundo sabe. Mas ninguém fala do lado B, essa era a minha questão”, afirmou Samara, que é mãe de Alicia, de 10 anos, e Lara, de 6.   

Profundo, ao mesmo tempo divertido, o espetáculo traz histórias autorais. “Vamos contar as nossas experiências, experiências de amigas, depoimentos de mulheres…”, revelou a atriz. "Questionamos a culpa na maternidade, trazemos questionamentos em relação ao papel do homem na criação dos filhos", continuou Carolinie, mãe de Bruna, de 7 anos, e Theo, de 5.

Ainda segundo Samara, a peça demorou cinco anos para sair do papel. “Foi um processo longo o de produção. Ele foi engavetado várias vezes por percalços da vida. A gente não conseguia se encontrar para ensaiar, eram muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo. Então fui engavetando, 'desengavetando', engavetando de novo… até que resolvi dar um ultimato na Carol. Encontramos Rita Elmar, nossa diretora. E, no final, foi um processo catártico. A gente riu, chorou e se curou de muitas coisas ao longo dos ensaios”.

"A peça está num lugar de muita cura na relação com a nossa mãe. É um lugar de muita coragem para que a gente consiga viver e realizar os nossos sonhos. A própria realização da peça tem ensinado como é plantar uma ideia e vê-la germinar e gestar até se realizar. Acho que quem vai assistir, acaba bebendo dessa fonte, desse nosso campo que tem sido de muita potência", afirmou Carolinie. 

No palco.

Estrear a peça em São José, para as atrizes, foi uma questão de “timing”. “Não queríamos estrear no Rio de Janeiro ou em São Paulo. Precisamos antes viajar com a peça, experimentá-la. E a cidade nos abriu a porta. Foi tudo muito harmônico”, disse Samara. 

A atriz assina pela primeira vez a produção de um espetáculo e conta que teve de colocar dinheiro do próprio bolso para a realização dela. “Hoje em dia, com esse governo tão sombrio em que nos encontramos e que não apoia a arte, fazer teatro de forma independente é um ato de resistência. Ainda mais trazendo a temática da maternidade para o palco”, contou. “E essa tem sido uma experiência que eu nem consigo descrever. Muito cansativa, sim, mas de muito aprendizado também”.

“É um projeto que veio com muita força. Recebo o apoio de muitos amigos, que participam do processo por amor, por amizade, cobram valores mais baixos para facilitar nossa produção. Então tem sido dias de muito suor, mas muito especiais”, concluiu. 

Serviço. 

O espetáculo está em cartaz nesta sexta-feira (22) e no sábado (23), às 21h, no teatro Colinas. Os ingressos custam R$ 60 (inteira). Membros do Clube+ OVALE têm 30% de desconto na compra de até 2 ingressos