• Saúde dos pets pode ficar comprometida nas temperaturas altas
  • Autor:Thais Perez
  • 2020-12-17
  • Fonte:

Com a chegada do verão e o aumento das temperaturas algumas doenças que afetam animais de estimação neste período do ano tendem a surgir. Não são apenas cachorros e gatos que podem ser acometidos, animais silvestres também necessitam de alguns cuidados especiais. Por isso é preciso que o tutor fique alerta. O médico veterinário Carlos Pigo, explica quais são as enfermidades que mais causam problemas no verão e como prevenir seu animalzinho.

Queimadura dos coxins

Os coxins são popularmente conhecidos como “almofada da pata”, que é aquela região mais fofinha logo abaixo dos quatro membros do animal. Apesar de ser resistente, queimaduras no local são frequentes, principalmente quando o asfalto está muito quente. Cortes, queimaduras, descolamento da pele dos coxins, bolhas e feridas são propensos a infecções e a cicatrização é lenta devido à constante pressão colocada na pata quando o cão anda, explica o Dr. Carlos.

Como prevenir

– O primeiro passo é ter bom senso na escolha do horário e local de passeio.

– Passear com o cão no início da manhã ou à noite e evitar calçamentos e asfaltos ou mesmo areia quente da praia.

– Passear com o cão na grama. Nesse caso, a escolha de parques pode ser uma boa opção.

- Coloque seus pés no local que o seu cão vai pisar, e sinta a temperatura no seus pés. Se estiver confortável para você, estará para ele também.

Estresse calórico em animais silvestres

O estresse pelo calor pode acometer todos os animais. Mas bichinhos como chinchila, coelhos, hamster e furrets são especialmente sensíveis a altas temperaturas. Em um país tropical como o Brasil são necessários alguns cuidados para que eles não sofram. “O estresse térmico ocorre quando o animal não suporta o calor ambiente, por conta de um aumento brusco de temperatura. Pouca ventilação e alta umidade também pioram este quadro”, comenta o médico veterinário. Em alguns casos o pet fica abatido, quieto e não consegue se locomover direito. Já em situações mais graves, podem gerar convulsão, desmaio, ou mesmo morte súbita por conta do calor.

Como prevenir

- Ventiladores e ar-condicionado podem ser ótimos aliados na hora de minimizar o desconforto destes animaizinhos. Climatizar o ambiente pode ser a melhor saída.

- Forneça água em abundância e fresca durante todo o dia, além de armazená-la em bebedouros limpos e dimensionados conforme a quantidade de animais.

- Manter a gaiola fora do alcance do sol direto, principalmente entre os períodos das 11h às 16h

Dermatite

A incidência de dermatites entre os animais domésticos no verão pode ocorrer por diversos motivos como, exposição à grama de praças e parques, ao tempo mais seco e à luz solar. A dermatite atópica, um dos problemas de pele que acomete animais domésticos, é genética e pode causar desconforto ao animal. Causada por elementos presentes no ambiente como pólen e fungo, que acabam sendo absorvidos pela pele do animal. “Cães jovens com até 2 anos de idade são os que mais sofrem com dermatite atópica, que gera coceira, vermelhidão e lesões cutâneas. Os sintomas podem ser controlados com hidratantes e emolientes com ação anti-inflamatória na pele”, elucida Pigo.

Como prevenir

- Por ser uma doença de caráter genético que acomete primordialmente cães, é necessário obter um diagnóstico para depois buscar pelo tratamento adequado.

- Confirmada a dermatite alérgica, saiba que ela ainda não tem cura. De modo que o tratamento consiste no controle da doença.

- Entre as medidas estão o uso de anti-histamínicos, tratamento de infecções secundárias (com antibióticos, no caso das bacterianas), shampoos especiais e rações medicamentosas hipoalergênicas.

Serviço

Dr. Carlos Pigo (CRMV – 27992) PigoVet Clínica

Endereço: Rua Augusto Edson Ehlke, 60, Jardim Apolo II

Contato: (12)3207-0459 ou pelo WhatsApp (12)98261-8979

Instagram: @pigovet

Clube+ OVALE 

Assinantes do Clube e seus pets têm desconto de 30% nos serviços de estética. Válido para todos os dias.